Pós-graduação: 4 estratégias para atrair novos alunos

Patrick Caldas

Raio-x da pós-graduação no Brasil mostra que estudantes podem demorar até o final dos 20 anos de idade para iniciar uma pós-graduação

Embora não haja um censo específico da pós-graduação, o grupo educacional Kroton estima que há cerca de 900 mil estudantes matriculados em cursos do tipo. A relação seria de 1 aluno de pós para cada 10 de graduação.

Nos últimos anos, temos visto o crescimento significativo da pós-graduação, tanto nas instituições especializadas, quanto nas que já ofereciam graduação.

O aumento da oferta de cursos acompanha a demanda pela educação continuada, sobretudo em virtude do mercado de trabalho cada vez mais seletivo.

Dessa forma, a pós-graduação revela-se um mercado promissor, especialmente para as IES que já ofertam graduação.

Este é o momento em que você deve estar se perguntando como são essas pessoas que compõem porcentagem tão seleta de pós-graduandos. É o que vamos descobrir ao longo deste artigo.

Qual o perfil dos estudantes de pós-graduação?

Para o gestor, é primordial buscar obter o máximo de informações sobre o perfil do pós-graduando no Brasil. Afinal, é isso que vai direcionar suas estratégias de marketing.

Para começar, nota-se que os egressos da graduação não iniciam a pós imediatamente. É comum que busquem a educação continuada quando já completaram alguns anos de carreira.

De modo que observamos dois públicos: aqueles para quem é necessário ter alguns anos de carreira até decidir que especialização cursar e aqueles que vêem a chance de avançar na carreira escolhida ou obter salário maior caso obtenham o título de pós-graduação.

Raio-X

Idade

Segundo o Panorama do Ensino Superior Privado no Brasil, da Quero Educação, A partir dos 20 aos 22 anos, a quantidade de alunos aumenta, com pico entre 28 e 30 anos, conforme demostrado no gráfico abaixo.

Para efeito de comparação, a faixa etária dos estudantes de mestrado é de 30 a 34 anos. A de doutorandos é de 35 a 39 anos, conforme dados dados da plataforma Lattes.

Sexo

Dados da Quero Educação mostram que, nos últimos 2 semestres de captação, constatou-se que 63% do público da pós-graduação é feminino. Isto é um pouco mais do que os 58% de mulheres encontradas nos cursos de graduação no mesmo período, conforme gráfico abaixo.

Distribuição de renda

Já com base na renda familiar per capita, a média entre os alunos da pós-graduação é de R$1.970, enquanto na graduação é de R$1.710.

Geralmente, alunos da pós possuem renda um pouco maior, refletindo o fato de que já estão mais avançados na carreira. Esses dados também são do Panorama do Ensino Superior Privado no Brasil, da Quero Educação.

Áreas de atuação

Ao contrário da graduação, a pós é bastante específica, com um catálogo de cursos muito maior, principalmente lato sensu.

Os dados a seguir também são baseados nas pesquisas da Quero Educação.

Duas famílias de cursos somam mais da metade de todas as vendas: 1) Gestão e Negócios e 2) Esporte, Estética e Saúde.

Enquanto isso, cursos de Comunicação e Ciências Sociais, Psicologia e Humanidades têm menor aderência – menos de 8% do total.

Finalmente, cursos da família do Direito representam cerca de 10% das vendas, o que representa aumento na comparação com a graduação em Direito.

Além disso, sinaliza que a especialização acompanha a alta demanda pelo bacharelado em Direito. A propósito, o Brasil tem mais cursos de Direito do que todos os outros países juntos.

Agora que você tem uma ideia do seu público-alvo, vamos às estratégias para atrair alunos para a pós-graduação.

Guia prático para atrair alunos para a pós-graduação

  1. Divulgue sua taxa de empregabilidade

Mais de 20% dos mestres e doutores estão desempregados. É importante mencionar os benefícios de ingressar na educação continuada, mas o foco na empregabilidade.

Avançar na carreira, ingressar ou recolocar-se no mercado de trabalho e aumentar o salário são aspirações de quem busca uma pós. Discuta com os alunos a probabilidade de que sua IES leve a isto, mostrando dados de ex-alunos bem sucedidos. Avalie incluir depoimentos dos discentes já graduados.

   2. Apresente as opções de financiamento

Com os cortes de bolsas de estudo via Capes cabe à IES privada incentivar o aluno com algum tipo de bolsa, desconto ou financiamento – dentro do que é viável na gestão financeira.

Todas as informações relevantes sobre essa oferta devem ser exibidas, sobretudo, em material online. Dessa forma, os alunos vão logo saber se sua IES oferece o benefício adequado às suas necessidades.

   3. Garanta sua presença digital

A primeira fonte de pesquisa sobre sua IES será sua página na internet. Assegure que todas as informações sobre os programas oferecidos sejam acessadas facilmente. Para isso, invista na experiência do usuário.

Outro aspecto importante é oferecer atendimento de qualidade sempre que responder a dúvidas ou oferecer produtos.

   4. Defina sua marca

Ao definir a marca da sua IES, trabalhe para que essa mensagem-chave seja uníssona em todos os departamentos. Ter uma marca consistente depende de promover a IES como uma instituição coletiva, que contribui para a sociedade e direciona os alunos a alcançarem seus objetivos.

Todos os departamentos devem ser coerentes ao responder às perguntas dos alunos, como “onde este curso vai me levar? O que isso inclui? Qual a reputação dessa instituição e de seus cursos? Quanto isso vai me custar?”.

O interesse dos estudantes é saber onde podem chegar com um programa de pós da sua IES. O que sua instituição tem a oferecer?

Conclusão

é importante lembrar que instituições privadas, apesar das vantagens propostas pelo novo governo, como autorregulação e rapidez no credenciamento, devem prezar pelo ensino de qualidade. Seja para preservar a autoimagem, seja para não despejar profissionais despreparados no mercado de trabalho, essa premissa deve direcionar todos os trabalhos.

Outra constatação importante é a de que possuir título acadêmico no Brasil faz diferença no mercado. Sendo assim, instituições privadas ainda podem se valer do fato de que a educação continuada ainda é requisito para um mercado de trabalho cada vez mais exigente e competitivo.

Por fim, embora pós-graduandos tenham salário um pouco maior, não significa que cobrar mais caro pelo programa seja a melhor opção. Os discentes possuem outras despesas importantes e menos opções de financiamento, o que torna difícil o investimento em educação.

A possibilidade de receber bolsa para pós-graduação é um fator de decisão para o ingresso de alunos na educação superior.

Esperamos que nosso conteúdo tenha sido útil. Não se esqueça de acompanhar nosso blog para se atualizar sobre outros temas relevantes da educação superior.

Muito RuimRuimRegularBomMuito Bom (média: 5,00)
Loading...

Pós-graduação: 4 estratégias para atrair novos alunos

Tempo de leitura: 5 min