Captação de alunos depois do início das aulas é possível

Sergio Fiuza

Instituições podem aproveitar o interesse dos atrasados para captar alunos e completar as turmas que já começaram.

Tempo de leitura: 5 minutos. Você vai ler sobre:

  • Principais benefícios para a IES
  • Principais benefícios para o aluno
  • Existe evasão?
  • Plataformas de marketplace

As matrículas já foram feitas e as aulas já foram iniciadas, mas não significa que a procura dos alunos pelos cursos foi encerrada.

As grandes universidades têm por hábito manter o processo de captação de alunos ativo até mesmo depois das primeiras semanas de aulas, na expectativa de amparar os alunos atrasados, que perderam algum prazo ou que precisaram de mais tempo para decidirem.

Captação de alunos depois do início das aulas

Nossos dados sobre o ciclo de verão mostram que, dentro da plataforma do Quero Bolsa, 12% dos alunos decidem onde querem estudar e efetivam as suas matrículas depois do período tradicional de captação, procurando as instituições após o início das aulas.

Ou seja, se você ainda não lotou as suas turmas antes desses meses, significa que ainda há chance de completar a sala.

Destacamos alguns dos principais pontos de atenção para conquistar alunos nesse período:

O aluno ainda consegue recuperar as aulas perdidas

Um aluno que procura a sua IES (Instituição de Ensino Superior) depois das aulas terem iniciado já sabe que perdeu algumas aulas.

No entanto, para que seja possível que o aluno seja aprovado, a exigência do MEC é de 75% de presença nas aulas, o que significa que o aluno pode começar suas aulas até ¼ depois de iniciado o semestre letivo.

Claro que a faculdade terá que deixar isso bastante claro para o aluno ingressante, ressaltando que qualquer ausência após esse período será muito prejudicial para o seu desempenho, ao mesmo tempo que disponibiliza seus professores para qualquer tipo de reforço ou dúvida nesse período em que o novo aluno “corre atrás” do material das primeiras aulas que perdeu.

Em geral, os grandes grupos definem o calendário de uma forma que o aluno sempre possa se matricular.

Quando o ritmo das matrículas está aquém do esperado para garantir um bom número de matriculados na turma, a prática mais comum é atrasar uma ou duas semanas o início das aulas.

Além disso, aulas de reposição também são regulamentadas pelo MEC, o que acaba aumentando esse limite.

Não custa mais caro investir em captação de alunos tardios

Um pedido básico dos alunos que chegam mais tarde às aulas é a isenção da mensalidade pelo período em que ele não assistiu às aulas, o que significa que talvez a sua instituição precise isentar as duas primeiras mensalidades, ou diluí-las nas mensalidades seguintes, para auxiliar o aluno a manter os pagamentos em dia durante os meses iniciais.

No entanto, já parou para pensar no retorno que esse capital investido na retenção do aluno trará para sua faculdade?

Faça as contas e provavelmente descobrirá que vale a pena o investimento.

Se você simplesmente postergar o pagamento das mensalidades dos meses passados para a conclusão do curso já conseguirá viabilizar a entrada do aluno tardio, sem afetar sua margem de contribuição por aluno.

Somente medir evasão não resolve o problema

Um dos principais receios dos gestores ao investir para reter um aluno tardio, é de que ele não vá acompanhar as aulas e venha a abandoná-las futuramente.

O aluno tardio, em geral, evade mais que o aluno que entra no prazo e por esse motivo o Quero Bolsa realiza campanhas de matrícula antecipada, por exemplo.

A boa notícia é que segundo dados do nosso time de inteligência, o índice de evasão dos alunos que ingressam em uma instituição de ensino através de uma bolsa, concedida na nossa plataforma, é 40% menor do que os alunos que ingressam através do modo convencional.

Estar no Quero Bolsa pode ajudar muito.

Por outro lado, no ciclo todo há alunos que evadem. Se o aluno vai evadir numa taxa maior caso entre tarde, isso em nada muda o fato de que a IES fatura mais caso seja eficiente em captar tardiamente e tratar a evasão desse público.

Não importa se o público A ou o B são melhores em disponibilidade de pagamento ou evasão: se há cadeira vazia, a IES tem que fazer o melhor que ela pode em todos esses públicos. Não captar não resolve nada.

Aproveite para conquistar o aluno indeciso

Os 12% de alunos do Quero Bolsa que nos procuram para matrículas tardias nos meses de março e setembro têm um perfil bastante indeciso.

Dos alunos que se matriculam pela plataforma, 70% deles fazem buscas em 2 ou mais faculdades antes de decidir onde estudar.

Eles acessam o site em busca de opções e preços, e se a sua faculdade não aparece nas buscas, ela acaba não se transformando em uma opção para esse potencial aluno.

Por isso, esse é um excelente momento para continuar captando.

É muito mais fácil, pois a grande maioria das faculdades simplesmente abdica desse mercado. E as que o fazem, aproveitam para ampliar seu domínio, beneficiando-se da baixa concorrência desse período, que tem poucas instituições ainda com vagas disponíveis para ofertar aos interessados.

Qualquer faculdade que expanda seu período de matrículas joga sozinha contra concorrentes que não o fazem.

Pra lembrar

Apesar de cada IES ter sua particularidade, é necessário quebrar o paradigma de que a captação acontece somente nos dois meses anteriores ao início das aulas, a prática deve ser foco durante todo o ano.

Essa até poderia ser uma realidade há alguns anos, mas não é o que acontece hoje em dia, com muitos alunos procurando ingressar no Ensino Superior durante o ano todo.

É preciso estar preparado para recebê-los a qualquer momento no ano, direcionando-os à melhor oportunidade possível.

Além de apostar na captação tardia, a mesma lógica se aplica para iniciar a sua busca por alunos mais cedo do que o tradicional – os meses de abril e outubro costumam ser boas oportunidades para investir em captação e garantir as turmas cheias para o semestre seguinte.

Muito RuimRuimRegularBomMuito Bom (Seja o primeiro a avaliar)
Loading...

Captação de alunos depois do início das aulas é possível

Tempo de leitura: 3 min